Sergio Moro, ministro da Justiça (Marcelo Camargo/ Agência Brasil)
Política

Guia: os furos e as análises para entender a fundo a guerra entre Moro e Bolsonaro

diego@vortex.media

Moro prepara celular para perícia a ser usada em investigação no STF; principais provas são mensagens de texto e de áudio

Embora separe mensagens em texto e áudio de WhatsApp, como as entregadas ao JN, o ex-ministro Sergio Moro prepara-se para submeter seu celular à perícia da PF. Com ela, será possível usar essas evidências de corroboração no inquérito presidido por Celso de Mello. Leia mais.

Acabou o governo do Bolsonaro da propaganda; começa o governo Bolsonaro do coturno

Com a saída do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o enfraquecimento cada vez maior do ministro da Economia, Paulo Guedes, restam na gestão Bolsonaro os ministros militares e os alinhados ao escritor e astrólogo Olavo de Carvalho. Em maior ou menor grau, é uma equipe sem vida própria, que só existe devido ao presidente. Leia mais.

Análise: Bolsonaro tentou acobertar possíveis crimes com futricas

O pronunciamento mentalmente barroco de Jair Bolsonaro expôs as limitações cognitivas e políticas do presidente da República. Foi incapaz de concatenar ideias ou raciocínios. Não conseguiu ou consegue discursar, como restou demonstrado mais uma vez. Só funciona no grito mesmo. Leia mais.

Inquérito contra Bolsonaro é o caso que definirá o mandato de Aras e o trabalho da equipe da PGR

O alvissareiro e ágil pedido de abertura de inquérito contra Jair Bolsonaro foi a decisão mais acertada até agora do procurador-Geral da República, Augusto Aras. O PGR pediu ao Supremo que autorize investigação sobre os fatos narrados por Moro. Leia mais.

O deputado em quem Bolsonaro aposta para salvar seu mandato

O presidente Jair Bolsonaro tem candidato à sucessão de Rodrigo Maia: trata-se do deputado Arthur Lira, expoente do PP, um parlamentar pragmático e ambicioso. Marcos Pereira, do Republicanos, é o plano B. Leia mais.

E para quem perdeu mais cedo:

Análise: governo Bolsonaro foi para a UTI. Mas não morreu

Diante do impacto da coletiva de Sergio Moro, o governo de Jair Bolsonaro, que adentrara o hospital nas últimas semanas, foi encaminhado à UTI. Respira por aparelhos. A situação é grave. Mas, num exame mais minucioso, não necessariamente terminal. Leia mais.

Líder do Centrão celebra: “Bolsonaro matou a Lava Jato”

Uma liderança neobolsonarista, do Centrão, está esfuziante. Acredita que o movimento de tirar Moro e levar o Centrão para a base do governo Bolsonaro “mata politicamente” a Lava Jato. Leia mais.

Exclusivo: Maia garante a aliados que não acolherá pedido de impeachment de Bolsonaro

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já decidiu: mesmo sob intensa pressão, não acolherá um provável pedido de impeachment contra Bolsonaro, a ser apresentado pela OAB. Leia mais.

Empresário próximo a Bolsonaro: “Guedes está de saída”

Um empresário que compõe o restrito grupo do PIB que dialoga com Bolsonaro – e, na medida do possível, influencia o governo – disse agora que Paulo Guedes deve sair. “Está de saída. Me deu todos os sinais disso”, disse esse empresário, que apoia Bolsonaro desde a campanha. Leia mais.

Novo Bessias day

O melhor paralelo com os fatos de hoje, do ponto de vista de impacto político, é com o dia em que Moro – sempre ele – levantou o sigilo das conversas entre Lula e Dilma, nas quais a presidente dizia ao petista que a nomeação dele para a Casa Civil estava pronta, caso fosse necessária (para evitar uma prisão). Leia mais.

Ministro palaciano: “Sem chance de renúncia (de Bolsonaro)”

Um ministro próximo a Bolsonaro – se é que essa caracterização ainda vale – demonstrou desânimo há pouco. Disse que não sabe o que vai acontecer. Ou seja, se Bolsonaro sobrevive. Leia mais.

Procuradores querem que Aras peça investigação contra Bolsonaro por obstrução de Justiça

Um grupo de procuradores pretende pedir daqui a pouco a Aras que abra uma investigação contra Jair Bolsonaro por obstrução de Justiça. Segundo essas fontes, o PGR poderia pedir ao Supremo abertura de inquérito com base no relato de Moro. Leia mais.

Orientação aos delegados que investigam políticos com foro: “Acelerem os inquéritos”

Um dos diretores da PF mandou há pouco mensagem a sua equipe, que trabalha nas investigações de políticos com foro no Supremo e no STJ. Disse para que eles “acelerem os inquéritos”. Leia mais.

“O governo acabou”: dois ministros do Supremo acreditam que Bolsonaro cometeu crimes

Dois ministros influentes do Supremo disseram, reservadamente, que antecipam um pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro – provavelmente da OAB. Um deles acredita que até Aras será forçado a pedir, no mínimo, abertura de inquérito contra o presidente. (O outro discorda.) Leia mais.

Atenção: procuradores e policiais criam estratégia jurídica para impedir no STF nomeação de novo diretor da PF

Procuradores e policiais organizam agora uma estratégia para evitar que Bolsonaro coloque um afilhado político no comando da PF. Passa por uma ação a ser impetrada no Supremo, na qual se argumente que a nomeação contém desvio de finalidade. Leia mais.

Urgente: OAB volta a debater pedido de impeachment de Bolsonaro

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, já recebeu ao menos duas mensagens de integrantes influentes da cúpula da entidade cobrando um debate urgente sobre a conveniência e a necessidade de apresentar um pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro. Leia mais.

A ilusão de controle da PF: as investigações sobre milícias físicas e digitais prosseguirão

Se Bolsonaro de fato colocar um fantoche à frente da PF, não resolverá os problemas de sua família com a polícia. Leia mais.

Bolsonaro: um governo de família; ministro: “Não sei em que governo estou”

Bolsonaro tem, hoje, três ministros de verdade: 01, 02 e 03. Leia mais.

Moro a amigo: “Guedes é o próximo”

Em conversa reservada, ainda ontem à noite, com uma pessoa de extrema confiança, Moro disse que “não reconhece mais” Bolsonaro. E afirmou ter certeza de que Paulo Guedes será o próximo a ser tratorado pelo presidente. Leia mais.

Análise: um presidente aquartelado num país rumo à instabilidade crônica

Jair Bolsonaro é, agora, um presidente aquartelado. Ao forçar a demissão de Moro, acha que demonstra força. Demonstra fraqueza. Entrou em espiral de destruição política. Leia mais.

Saída de Moro vai custar caro a Bolsonaro por muito tempo

Da forma como se deu, a saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça é o mais duro golpe recebido pelo governo Jair Bolsonaro. As declarações de Moro nesta sexta-feira (24/04) afetam diretamente a imagem do presidente e podem ter reflexos graves em sua já baixa popularidade. Leia mais (para assinantes).

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex