(Valter Campanato/Agência Brasil )
Política

Economia: o cenário está mais difícil para o governo

O cenário formado durante a semana que termina não é positivo para a economia, setor que gerou alguns fatos positivos para o governo Bolsonaro no ano passado. Seja pelos deslizes do ministro da Economia, Paulo Guedes, seja pelo coronavírus, os últimos dias sugerem meses mais difíceis à frente. 

Por que isso importa?

A economia, o setor que rendeu melhores resultados ao governo no ano passado, está crescendo menos que o esperado e enfrenta dificuldades internas e externas.

  • Divulgado nesta sexta-feira (14/02), o Índice de Atividade Econômica do Banco Central registrou crescimento de 0,89% em 2019. É um resultado decepcionante. O PIB, calculado pelo IBGE, leva em conta mais variáveis da economia e só será divulgado em março. Mas o IBC-Br dá uma dimensão da magnitude do que virá.
  • O resultado indica que o crescimento de 2019 pode ficar abaixo do que se esperava e que a recuperação da economia está mais lenta do que se pensava, o que sugere mais dificuldades à frente. Para um país como o Brasil, o crescimento de 1% é insuficiente. Abaixo disso é uma derrota.
  • Os dois últimos deslizes verbais do ministro da Economia, Paulo Guedes, enfraquecem sua posição. O mercado financeiro e o meio produtivo têm paciência com Guedes, mas o Congresso não. As bobagens ditas por ele sobre servidores públicos serem parasitas e as viagens de empregadas domésticas ao exterior vão criar dificuldades para negociar as reformas administrativa e tributária. Negociar no Congresso é difícil; entrar nessa missão enfraquecido é facilitar a vida do adversário.  
  • O governo adiou mais uma vez o envio de uma proposta de reforma administrativa. O presidente Jair Bolsonaro teme mexer com servidores públicos, por isso o governo adia sistematicamente a operação. Em um ano eleitoral, no qual o Congresso vai parar de trabalhar em junho, cada dia perdido equivale a uma semana.
  • Sem reforma, Bolsonaro pode evitar desgastes com servidores e preservar alguns pontos de sua baixa popularidade, mas Guedes perde parte do seu encanto com o mercado.
  • A epidemia do coronavírus na China atingiu um novo patamar, com uma revisão na metodologia que elevou dramaticamente o número de casos no país. A mudança gera mais incerteza sobre como a China lidará com o problema e qual a magnitude do efeito negativo em sua economia. Como a China é a maior parceira comercial do Brasil, a economia nacional sentirá a pancada.

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex