(Foto: Pedro França/Agência Senado)
Política

Morte de miliciano deve manter Flávio Bolsonaro sob paralisia

(atualizado: 10/02/2020, 15:54) leandro@vortex.media

O assassinato do ex-PM e miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, ocorrido no domingo (09/02), elimina uma figura incômoda para o senador Flávio Bolsonaro na investigação sobre o esquema de rachadinha em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio. No curto prazo, no entanto, a suspeita de que Nóbrega foi morto em uma queima de arquivo vai gerar desgaste político ao senador.

Foragido há um ano, Nóbrega era um bandido perigoso, apontado como chefe do Escritório do Crime, uma das milícias mais poderosas do Rio, e acusado de assassinatos. Apesar de estar sozinho em um sítio, cercado por vários policiais e com apenas uma pistola e três armas velhas, a policia afirma que Nóbrega reagiu e foi morto “em confronto”.  

Conteúdo exclusivo para assinantes

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.

Plano Anual com 30% de desconto.

Plano Mensal.

Plano Gratuito válido por 30 dias.

Já é assinante?

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex