(Antonio Cruz/Agência Brasil)
Política

Salário mínimo: baixa popularidade guia decisão de Bolsonaro

Os baixos índices de popularidade e de avaliação do governo explicam a rapidez com que o presidente Jair Bolsonaro prometeu conceder um novo aumento do salário mínimo. Apesar de o governo não saber ainda como fazer isso, Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (14/01) que tomará a medida.

Por que isso importa?

O reajuste do salário mínimo afeta milhões de trabalhadores e beneficiários do INSS e tem grande impacto nas contas públicas.

O salário mínimo foi reajustado em 4,01% e passou de R$ 998 para R$ 1.039. A medida foi assinada no final de 2019, com base em projeções da inflação. Contudo, o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que serve de indexador para o mínimo, fechou em 4,48%. Assim, o mínimo deveria ser de R$ 1.042. Bolsonaro disse que o governo corrigirá o valor.

  • É uma diferença mínima nos números, mas uma grande tragédia na política. Se não elevar o salário mínimo de acordo com o INPC, Bolsonaro se tornará o primeiro presidente desde Itamar Franco (1992-1995) a permitir que o mínimo perca para a inflação – ou seja, que os trabalhadores percam poder de compra.
  • No ano passado, Bolsonaro já se tornou o primeiro presidente em 25 anos a não dar aumento real ao salário mínimo – ou seja, acima da inflação. Desde 1994, todos os governos ajustaram o mínimo um pouco acima da inflação. Isso ocorreu de maneira informal até 2007, quando a prática se tornou lei. Mas a lei perdeu a validade no ano passado e não foi renovada pelo governo Bolsonaro. Por isso o aumento vai equiparar a inflação, não superá-la.
  • Bolsonaro tem os mais baixos índices de popularidade e de avaliação de um presidente desde Fernando Collor. O simbolismo do salário mínimo faz com que não possa cometer nenhum erro nessa área.
  • Salário mínimo, inflação e desemprego são pontos determinantes para a avaliação do governante. Presidente com baixa popularidade evita decisões que causem transtornos nesses campos.
  • O governo Bolsonaro carrega a fama de trata mal os pobres. No ano passado, o governo sofreu grande desgaste quando a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, tentou criar um desconto no seguro desemprego. O pretexto era usar o dinheiro arrecadado para bancar um programa de incentivo à contratação de jovens. Foi obrigado a recuar.
  • Cada R$ 1 a mais no salário mínimo significa mais R$ 319 milhões a mais nos gastos do governo. Assim, para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, o governo terá de tirar dinheiro de alguma outra área.

Um sinal de que Bolsonaro está preocupado foi sua postura em público. No Twitter, logo após falar sobre a questão, o presidente citou um aumento no salário mínimo na Venezuela e atacou o PT. Como se sabe, em momentos de dificuldade, Bolsonaro faz ataques ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao PT, uma tática que lhe é favorável.

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex