Política

Anúncio de taxação mostra que “amizade” de Trump não traz vantagens como Bolsonaro apregoa

(atualizado: 02/12/2019, 17:02) leandro@vortex.media

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem uma fixação por superávits comerciais – quando o saldo entre importações e exportações é positivo para o país. Sua decisão de voltar a taxar o aço e o alumínio brasileiros está incluída num contexto maior da economia americana, mas expõe as fragilidades do relacionamento entre Brasil e Estados Unidos no governo Bolsonaro.

Por que isso importa?

A decisão americana pode ter forte impacto na indústria siderúrgica brasileira. Com seus produtos mais caros, sua capacidade de exportar vai cair e gerar perdas financeiras. A decisão também mostra a fragilidade da linha de atuação que rege o relacionamento Brasil-Estados Unidos no momento.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.

Plano Anual com 30% de desconto.

Plano Mensal.

Plano Gratuito válido por 30 dias.

Já é assinante?

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex