(Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)
Política

Lula e Brics podem atrapalhar planos do governo para votação rápida da PEC Paralela

(atualizado: 08/11/2019, 19:01) larissa@vortex.media carla@vortex.media wilson@vortex.media

A reação à soltura do ex-presidente Lula e a realização da 11ª Cúpula do Brics, grupo de países emergentes, que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, em Brasília, na próxima semana, conspiram contra os planos do governo de aprovar rapidamente a PEC Paralela, que inclui estados e municípios na reforma da Previdência.

Por que isso importa?

A PEC Paralela prevê uma economia de R$ 350 bilhões em uma década, com a inclusão de estados e municípios no novo regime de previdência.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.

Plano Anual com 30% de desconto.

Plano Mensal.

Plano Gratuito válido por 30 dias.

Já é assinante?

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex