Sergio Moro, ministro da Justiça (Marcelo Camargo/ Agência Brasil)
Justiça

Terça on fire: onze furos e análises para entender a investigação que ameaça o presidente

(atualizado: 22/05/2020, 12:42) diego@vortex.media

Análise: vídeo torna-se a prova que pode obrigar Aras a denunciar Bolsonaro; caso ganha extrema gravidade

Quatro fontes presentes hoje à exibição do vídeo da reunião ministerial citada por Moro afirmaram ao Vortex que a prova é altamente prejudicial à defesa de Jair Bolsonaro. Duas delas dizem que o presidente declarou, no encontro, que trocaria o “segurança do Rio” (ele queria dizer “superintendente”) porque sua família estava sendo perseguida por processos no estado. De acordo com essas duas fontes, Bolsonaro disse que havia tentado fazer a mudança antes, sem sucesso – mas que agora a faria mesmo que tivesse que demitir o diretor da PF e o ministro da Justiça. Leia mais

Exclusivo: dois procuradores da República envolvidos na investigação contra Bolsonaro avaliam que o vídeo demonstra a interferência indevida do presidente na PF

Dois procuradores da República envolvidos na investigação contra Bolsonaro avaliam que o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril demonstra a interferência indevida do presidente na PF. Leia mais

A versão dos generais não se sustenta; defesa de Bolsonaro tem um problemaço pela frente

Para deixar translúcido o que deveria ser claro: a versão de Bolsonaro, apresentada pelos generais, não se sustenta. A PF do Rio não tem nada a ver com a segurança pessoal do presidente. É um insulto à inteligência dos investigadores, do Supremo e da plateia. Leia mais

Exclusivo: os três ministros militares protegeram o presidente nos depoimentos

Os três ministros militares protegeram o presidente nos depoimentos, relata-me uma fonte com conhecimento direto do teor das oitivas. Discurso alinhado entre os generais. Leia mais

Braga Netto protegeu o presidente em depoimento

Em depoimento há pouco, o general Braga Netto (Casa Civil) matou no peito: protegeu o presidente e disse que trocar a “segurança no Rio” se referia à segurança do presidente. Leia mais

Exclusivo: general Augusto Heleno defende presidente, apresenta versão sem sentido e diz não se lembrar de quase tudo que é relevante

Resumo do depoimento de Augusto Heleno, o general mais relevante às investigações contra o presidente: Ramagem é ótimo; Bolsonaro estava preocupado com sua segurança pessoal, embora reconheça que ela é “de elite”; e não se recorda de nada que está no vídeo. Precisa ver. Desastre. Leia mais

Exclusivo: general Ramos também defende o presidente e diz não se lembrar de trechos críticos da gravação

O depoimento de general Luiz Eduardo Ramos seguiu a mesma linha de seus colegas. Protegeu o presidente. Leia mais

Alerta de cascata: interpretação técnica não é narrativa; a narrativa de que há guerra de narrativas é uma… narrativa

Como já escrevemos acerca do exame técnico de uma prova como o vídeo de 22 de abril, há, por definição, análise de contexto e interpretação das falas. É algo rotineiro em investigações. Leia mais

Exclusivo: aumentou (ainda mais) a disposição de Celso de Mello em tornar público o vídeo da reunião ministerial; decisão vem assim que decano receber e analisar a gravação

O ministro Celso de Mello está cada vez mais convencido de que o vídeo da reunião ministerial precisa vir a público na íntegra. Neste momento, a chance de que a gravação permaneça em sigilo é próxima de zero. Antes de decidir, contudo, o decano tomará conhecimento do teor da reunião. Até agora, o ministro não recebeu a transcrição pedida à PF. Ainda estuda maneiras de, também, assistir ao vídeo. (Ele está em São Paulo.) Leia mais

Exclusivo: Aras tomará sonoro toco se pedir a Celso de Mello que não haja transcrição integral do vídeo

Em primeira mão: Aras tomará um sonoro toco se, de fato, pedir ao ministro Celso de Mello que reconsidere a decisão de pedir uma transcrição à PF. Como o documento foi pedido pelo próprio ministro, para que ele analise o teor da reunião, o decano enxerga no ato do PGR uma tentativa indevida de tutelar quem deve decidir sobre o sigilo – ele. Leia mais

Celso de Mello pede que AGU, PGR e Moro digam se ainda querem sigilo no vídeo

O ministro Celso de Mello deu 48 horas para que as partes do inquérito, após assistirem ao vídeo da reunião, esclareçam se mantêm a mesma posição sobre o sigilo ou não da gravação. O decano aguarda, na verdade, o parecer da PGR. Está especialmente incomodado com a atuação de Aras. Leia mais

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex