Justiça

Análise: denúncia contra Glenn é frágil, mas levanta debate sobre limites do jornalismo

diego@vortex.media

O procurador da República Wellington Divino Marques de Oliveira denunciou ontem Glenn Greenwald por associação criminosa (antiga quadrilha), no caso dos hackers da Lava Jato, sem elementos probatórios que sustentem a acusação. Adore-se ou se odeie o trabalho de Glenn e do site The Intercept na Vaza Jato, importa somente a inescapável avaliação de que o Ministério Público Federal não detinha evidências suficientes para a imputação que fez ao jornalista – e não poderia tê-la feito, em virtude de uma liminar favorável a Glenn, concedida por Gilmar Mendes.

O Vortex analisou detidamente a denúncia. Baixe aqui uma versão anotada e entenda por que chegamos a essa conclusão.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.

Plano Anual com 30% de desconto.

Plano Mensal.

Plano Gratuito válido por 30 dias.

Já é assinante?

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex