(CNMP)
Justiça

Desfalcado de nomes do MP, conselho deve punir Deltan

(atualizado: 26/11/2019, 16:03) teo@vortex.media

Com três cadeiras de representantes do Ministério Público atualmente vazias, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) deve punir nesta terça-feira (26/11) o procurador da República Deltan Dallagnol por ofensa a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e ainda abrir apuração por suposta interferência na disputa pelo comando do Senado. Conselheiros e interlocutores do coordenador da força-tarefa da operação Lava Jato em Curitiba avaliam que a ausência desses integrantes no órgão pode prejudicar Dallagnol na calibragem da sanção.

Ao todo, são 14 cadeiras, mas o colegiado está desfalcado esperando o Senado analisar três indicações - o que tem grandes chances de só ocorrer em 2020. As três vagas são referentes ao Ministério Público Militar, ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios e ao Ministério Público Estadual.

No processo que pode ser analisado hoje, o chefe da Lava Jato pode ser punido, com advertência, censura, suspensão ou demissão. A tendência, dizem conselheiros, é que forme maioria por advertência ou censura. As duas são penas mais brandas, mas mancham o currículo, impactando possíveis progressões na carreira. Uma ala chegou a defender o afastamento do cargo, mas a proposta parece ter perdido força.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.

Plano Anual com 30% de desconto.

Plano Mensal.

Plano Gratuito válido por 30 dias.

Já é assinante?

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex