()
Dados

Dados da Semana #2: Desigualdade social, prisão em segunda instância e FMI

(atualizado: 18/10/2019, 17:06)

Essa é uma seleção feita pela Editoria de Dados do Vortex com os principais dados da semana terminada em 18 de outubro. Para fazer sugestões, críticas ou comentários, envie um email para dados@vortex.media.


34
vezes maior
Data da divulgação: 16/10/2019

É o rendimento médio mensal de trabalho da população 1% mais rica em relação à metade mais pobre, em 2018, segundo dados Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, do IBGE. Contribuíram para isso uma alta 8,4% nos ganhos dos mais ricos e quedas nos ganhos dos 30% mais pobres, na comparação com 2017.

Por que isso importa?

A desigualdade social é um tema recorrente no discurso político, especialmente em um momento no qual o Brasil tenta se recuperar da recessão econômica que resultou em milhões de pessoas desempregadas nos últimos anos.


157.213
postos formais de trabalho
Data da divulgação: 17/10/2019

Foram criados em setembro de 2019, melhor patamar desde setembro de 2013, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, que mede a diferença entre demissões e contratações formais relatadas pelas empresas. O mês registra tradicionalmente números mais fortes, por conta de contratações para a temporada de vendas de fim de ano.

Por que isso importa?

O aumento nas contratações formais é um dos indicadores de retomada da atividade econômica.


4.895
condenados em segunda instância
Data da divulgação: 16/10/2019

Podem ser beneficiados caso o STF julgue que o cumprimento de pena só poderá acontecer após o trânsito em julgado, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça. “É importante destacar que apenas as prisões decretadas exclusivamente em razão de condenação em segunda instância são objeto das ADCs (Ação Declaratória de Constitucionalidade)”, informou o CNJ, em nota.

Por que isso importa?

O julgamento da prisão em segunda instância deve ser o de maior impacto do STF neste ano para o sistema penal. A decisão pode definir o destino de réus da Lava Jato e influenciar futuros acordos de delação premiada. Também vai definir um novo sistema, que causará impacto em todo sistema judiciário.


17.774
candidatos

Dos 29.085 que disputaram as eleições em 2018 declararam a propriedade de algum bem, informou reportagem do Vortex. Uma mudança feita pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) na eleição do ano passado abriu brecha para que candidatos sejam menos transparentes na hora de declarar seu patrimônio na disputa municipal de 2020.

Gráfico Declarações Ocultas

Por que isso importa?

Ter informações detalhadas e acessíveis sobre o patrimônio dos candidatos aumenta a transparência e a lisura do processo eleitoral. A falta de detalhes sobre os bens dos candidatos dificulta necessária fiscalização social dos políticos.


Com colaboração de Gabriela Sá Pessoa e Sérgio Spagnuolo

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex