(Valter Campanato/Agência Brasil)
Dados

Itamaraty orientou embaixada a negar vistos para familiares de médicos cubanos

(atualizado: 11/10/2019, 19:29) gabriela@vortex.media

O governo brasileiro orientou sua embaixada em Havana a negar vistos de residência temporária a familiares de médicos cubanos que permaneceram irregularmente no Brasil após o fim da parceria no Programa Mais Médicos, em novembro de 2018. A determinação valia para filhos, cônjuges, irmãos e parentes de até segundo grau dos ex-colaboradores.

Por que isso importa?

O fim da colaboração entre Brasil e Cuba no Programa Mais Médicos, em novembro de 2018, foi uma reação internacional à eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Desde então, Ministério da Saúde encontra dificuldade para preencher os postos vagos em regiões que ficaram desassistidas com a saída desses profissionais, em municípios pouco atrativos para os médicos brasileiros. Segundo a pasta, todas as 8.517 vagas abertas após o fim da cooperação foram preenchidas por médicos brasileiros, porém há relatos de desistências. Atualmente, 15 mil médicos participam do programa. Em agosto, o governo lançou o Médicos pelo Brasil, que irá remanejar municípios atendidos e alterar o regime de trabalho dos profissionais para CLT, em vez de contratos temporários.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.

Plano Anual com 30% de desconto.

Plano Mensal.

Plano Gratuito válido por 30 dias.

Já é assinante?

Newsletter

Reportagens exclusivas e as notícias mais quentes na sua caixa de e-mail.

Valorizamos sua privacidade. Nunca enviaremos spam ou compartilharemos suas informações com terceiros.

Assine

O novo modo de fazer jornalismo de que o novo Brasil precisa.

Apoie o nosso jornalismo para que possamos ajudar a elevar a democracia.
Assine Vortex